Olá, elevador

Como vai a vida? Umas vezes para cima, outras para baixo?

AB

One thought on “Olá, elevador

  1. LLJ55 diz:

    Recebi o elevador novinho em folha. O predio eu e ele tinhamos a mesma idade. Claro que crescemos juntos cada um ‘a sua maneira. Começamos a fixar e conhecer as criaturas que cohabitavam connosco e as suas vidas, conhecer os arredores, a escola, os amigos, o 1 emprego, as namoradas, as noitadas, mais tarde, começou a haver espaços de tempo que não punha lá os pe’s, de maneira que quando voltava, ia logo com Ele até lá cima. Notavamos diferenças que o tempo deixa,. Nelr notava os botões que já não tinham a eficiência de outrora, a violência interior das pessoas retratada nas paredes, o mecanismo de elevação/descida cada vez mais difícil e cheia de ruídos. Mas ele também notava diferenças em mim : a fisionomia, as atitudes, a adultice convicta e gabarola, as historias por onde passei, mas no fundo, os nossos olhos brilhavam com a amizade que temos guardada a’ muito tempo. Houve uma vez que tremeu :
    Num dia qualquer, carreguei alguns dos botões meio a toa, e o ascensor subiu subiu e de repente descaiu a uma velocidade que o estômago veio ter com a cabeça. Claro que houve discussão mas nunca soubemos quem foi o culpado. Não interessa, estávamos bem e bem entre no’s.
    Nunca mais tive com ele. Há pouco tempo passei por la’ pra ver como estava as coisas, mas o edifício já não está lá!
    Uma tristeza invadiu-me. Enfim : a vida continua mas não num nível plano. Há os altos e baixos que nos moldam…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *