João Bessa e a produção de “Nome Próprio”

O meu querido João Bessa formou dupla comigo para assinar a produção de “Nome Próprio”. Foram muitas horas a ouvir as gravações dos ensaios e a pensar em como captar e acrescentar camadas às canções.

Quando me encontrei com ele a primeira vez para falarmos do que imaginava para este trabalho, disse-lhe que queria um som cheio, entre o wall of sound do Phil Spector e o bater o pé constante da Motown, mas traduzido para um ambiente cá da terra.

Sempre achei que a nossa música popular, com os seus  ritmos e danças tão variados de norte a sul do país eram a inspiração perfeita para criar um som pujante, cheio, que obrigasse a um quase imediato bater o pé e agitar dos quadris.

Ao mesmo tempo, o cancioneiro norte-americano, do Jazz, ao Blues R&B e Folk são enormes influências e uma paixão de longa data. Nunca me pareceu descabido juntar tudo isto à tradição portuguesa, só que não sabia como.

Comecei a ter ideia de como o fazer há poucos anos e com a ajuda dos músicos que me acompanham e da visão do Bessa sobre como captar e traduzir isso num som coeso e que representasse bem esse caldeirão de influências, cheguei a este álbum.

Com a perspicácia, engenho, arte e saber do Bessa, o álbum ficou para lá do que tinha imaginado. Abriu-me novos caminhos, deu-me muitas ideias e aprendi imensas coisas com ele. Para além disso, por me sentir tão bem entregue, não tive quaisquer reservas quando fui gravar a voz e, a seguir, editar os meus takes. Tudo o que fazemos, bom ou mau, vai ser analisado à lupa por quem grava e produz, por isso a relação de confiança que temos com essa pessoa é essencial para estarmos na cabine de estúdio com o à-vontade necessário para cantarmos sem medos ou inseguranças. Com o Bessa é assim: fácil.

Costumo dizer que a editar takes de voz somos uma dupla demolidora: um diz mata, o outro diz esfola. A exigência que aplicamos ao que está gravado é implacável e se não ficou bem, repete-se até ficar dentro dos requisitos mínimos.

No final das contas, sei que o meu trabalho e o trabalho dos outros músicos está soberbamente bem entregue nas mãos abençoadas do querido Bessa. Assim se provou de todas as vezes que trabalhámos juntos e mais ainda nesta primeira aventura a solo.

Foi um processo de paz e muito gozo, a produção deste álbum. O som que lá está é exactamente o tipo de som que gosto de ouvir nos discos, desde a captação, à mistura e ao toque final do senhor da Abbey Road, escolhido a dedo pelo Bessa.

Obrigada, querido Bessa, por tudo. Grata, sempre e para sempre.

(Fotos de Filipe Ferreira)

AB

 

2 thoughts on “João Bessa e a produção de “Nome Próprio”

  1. Maria Madalena Bartolo Vaz diz:

    Joãozinho faz sucesso ! Estás um homem mas a tua carinha continua a mesma beijo

  2. Sofia Novais diz:

    Muitos parabéns Joao!
    Continua a dar nos boa música! You rule!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *